Josemaría Escrivá Obras
927

Convence-te: o teu apostolado consiste em difundir bondade, luz, entusiasmo, generosidade, espírito de sacrifício, constância no trabalho, profundidade no estudo, amplitude na entrega, actualização, obediência absoluta e alegre à Igreja, caridade perfeita...

Mas ninguém dá o que não tem.


928

Para ti, ainda jovem e que acabas de empreender o caminho, este conselho: como Deus merece tudo, procura sobressair profissionalmente, para que possas propagar depois as tuas ideias com maior eficácia.


929

Não o esqueças: convencemos tanto melhor quanto mais convencidos estivermos.


930

"Não se acende a luz para a pormos debaixo de um alqueire, mas sobre um candeeiro, a fim de que ilumine todos os da casa; assim brilhe a vossa luz diante dos homens, de maneira que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus".

E, no final da sua passagem pela Terra, ordena: "euntes docete", ide e ensinai. Quer que a sua luz brilhe na conduta e nas palavras dos seus discípulos. Nas tuas também.


931

É chocante a frequência com que (em nome da liberdade!) tantos têm medo - e se opõem! - a que os católicos sejam pura e simplesmente bons católicos.


932

Guarda-te dos propagadores de calúnias e insinuações, que alguns acolhem por superficialidade e outros por má fé, destruindo a serenidade do ambiente e envenenando a opinião pública.

Em certas ocasiões, a verdadeira caridade pede que se denunciem esses abusos e quem os promove. Se não, com a sua consciência desvirtuada ou pouco formada, eles e os que os ouvem podiam concluir: "calam-se; logo, consentem".


933

Os sectários vociferam contra aquilo a que chamam o nosso "fanatismo", porque os séculos passam e a Fé católica permanece imutável.

Pelo contrário, o fanatismo dos sectários - por não ter relação com a verdade - muda cada época de vestidura, elevando contra a Santa Igreja o espantalho de meras palavras, esvaziadas de conteúdo pelos seus actos: uma "liberdade" que aprisiona; um "progresso" que faz regressar à selva; uma "ciência" que esconde a sua ignorância... Sempre um barracão a encobrir velha mercadoria deteriorada.

Oxalá o teu "fanatismo" se torne cada dia mais forte pela Fé, única defesa da única Verdade!


934

Não te assustes nem te admires perante a obstinação de alguns. Nunca deixará de haver vaidosos que esgrimam, com alardes de cultura, a arma da sua ignorância.


935

Que pena verificar como marcham unidos por diversas paixões - mas unidos contra os cristãos, filhos de Deus - os que odeiam o Senhor, e alguns que afirmam estar ao seu serviço!


936

Em certos ambientes, sobretudo nos da esfera intelectual, sente-se e palpa-se como que uma consigna de seitas, servida às vezes até por católicos, que - com cínica perseverança - mantém e propaga a calúnia, para lançar sombras sobre a Igreja, ou sobre pessoas e entidades, contra toda a verdade e toda a lógica.

Reza todos os dias, com fé: "Ut inimicos Sanctae Ecclesiae (inimigos, sim, porque eles próprios o proclamam) humiliare digneris, te rogamus audi nos!". Confunde, Senhor, os que Te perseguem, com a clareza da tua luz, que estamos decididos a propagar.


937

Que essa ideia do catolicismo é velha e, portanto, inaceitável?... Mais antigo é o Sol, e não perdeu a sua luz; mais arcaica é a água, e ainda tira a sede e refresca!


938

Não se pode tolerar que ninguém, mesmo com boa intenção, falseie a história ou a realidade da vida. Mas constitui um grande erro colocar num pedestal os inimigos da Igreja, que consumiram os seus dias a persegui-la. Convence-te: a verdade histórica não sofre por um cristão não colaborar na construção de uma estátua que não deve existir. Desde quando se toma por modelo o ódio?


939

A propaganda cristã não necessita de provocar antagonismos, nem de maltratar os que não conhecem a nossa doutrina. Se se proceder com caridade ("caritas omnia suffert!", o amor tudo suporta!), quem lhe for contrário, uma vez desenganado do seu erro, pode acabar por se comprometer, sincera e delicadamente, com a verdade.

Todavia, não pode haver cedências no dogma, em nome de uma ingénua "amplidão de critério", pois quem actuasse desse modo expor-se-ia a ficar fora da Igreja; e, em vez de conseguir o bem para os outros, faria um mal a si mesmo.


940

O cristianismo é "insólito"; não se adapta às coisas deste mundo... E esse talvez seja o seu "maior inconveniente", e a bandeira dos mundanos.


941

Alguns não sabem nada de Deus..., porque não lhes falaram d'Ele em termos compreensíveis.


942

Quando não te bastar a inteligência, pede que te ajude a santa sagacidade, para servir mais e melhor a todos.


943

Acredita em mim: normalmente, o apostolado, a catequese, tem de ser capilar: um a um. Cada crente com o seu companheiro mais próximo.

A nós, filhos de Deus, interessam-nos todas as almas, porque nos interessa cada uma delas.


944

Ampara-te em Nossa Senhora, Mãe do Bom Conselho, para que da tua boca nunca saiam ofensas a Deus.


Anterior Seguinte