Josemaría Escrivá Obras
933

Jesus, que o meu pobre coração se encha do oceano do teu Amor, com vagas tais que limpem e expulsem de mim toda a minha miséria... Verte as águas puríssimas e ardentes do teu Coração no meu, até que, satisfeita a minha ânsia de te amar, não podendo conter mais afectos de divino incêndio, estale - morrer de Amor! -, e salte esse teu Amor, em cataratas vivificadoras e irresistíveis e fecundíssimas, para outros corações que vibrem, ao contacto de tais águas, com vibrações de Fé e de Caridade.

Anterior Ver capítulo Seguinte