Josemaría Escrivá Obras
885

Às vezes é preciso atar as mãos, com reverência e com medida, sem ofensas nem indelicadeza. Não por vingança, mas para cura. Não como castigo, mas como remédio.

Anterior Ver capítulo Seguinte