Josemaría Escrivá Obras
387

Escrevia aquele nosso amigo: "pedi perdão a Nosso Senhor muitas vezes pelos meus enormes pecados; disse-lhe que o amava, beijando o Crucifixo, e agradeci-lhe as suas providências paternais destes dias. Surpreendi-me, como há anos, dizendo (só reparei mais tarde): 'Dei perfecta sunt opera', todas as obras de Deus são perfeitas. Ao mesmo tempo ficou-me a convicção plena, sem nenhuma espécie de dúvida, de que esta é a resposta do meu Deus à sua criatura pecadora, mas amante. Espero tudo dele! Bendito seja!!".

Apressei-me a responder-lhe: "Nosso Senhor comporta-se sempre como um bom Pai e dá--nos provas contínuas do seu Amor: põe toda a tua esperança nele... e continua a lutar".

Anterior Ver capítulo Seguinte