Josemaría Escrivá Obras
252

- Dá-me, Jesus, Cruz sem cireneus. Digo mal: a tua graça, a tua ajuda faz-me falta, como para tudo; sê Tu o meu Cireneu. Contigo, meu Deus, não há provação que me assuste...

- Mas, e se a Cruz fosse o tédio, a tristeza? Digo-te, Senhor, que, Contigo, estaria alegremente triste.

Anterior Ver capítulo Seguinte