Josemaría Escrivá Obras
870

Não queiras ser grande. - Criança, criança sempre, ainda que morras de velho. - Quando um menino tropeça e cai, ninguém estranha...; seu pai apressa-se a levantá-lo.

Quando quem tropeça e cai é adulto, o primeiro movimento é de riso. - Às vezes, passado esse primeiro ímpeto, o ridículo cede o lugar à piedade. - Mas os adultos têm de se levantar sozinhos.

A tua triste experiência quotidiana está cheia de tropeços e de quedas. Que seria de ti se não fosses cada vez mais pequeno?

Não queiras ser grande, mas menino. Para que, quando tropeçares, te levante a mão de teu Pai-Deus.

Anterior Ver capítulo Seguinte