Josemaría Escrivá Obras
119

Que formosa é a santa pureza! Mas não é santa, nem agradável a Deus, se a separarmos da caridade.

A caridade é a semente que crescerá e dará frutos saborosíssimos com a rega que é a pureza.

Sem caridade, a pureza é infecunda, e as suas águas estéreis convertem as almas num lodaçal, num charco imundo, donde saem baforadas de soberba.

Anterior Ver capítulo Seguinte