Josemaría Escrivá Obras
 
 
 
 
 
 
  Caminho > Propósitos > Cap 9
247

Concretiza. - Que os teus propósitos não sejam fogos de artifício, que brilham um instante para deixar, como realidade amarga, uma cana negra e inútil que se atira fora com desprezo.


248

És tão novo! - Pareces-me um barco que empreende viagem. - Esse ligeiro desvio de agora, se não o corrigires, fará com que no fim não chegues ao porto.


249

Faz poucos propósitos. - Faz propósitos concretos. - E cumpre-os, com a ajuda de Deus.


250

Disseste-me e ouvi-te em silêncio: "Sim, quero ser santo". Se bem que esta afirmação, tão esfumada, tão geral, me pareça normalmente um disparate.


251

Amanhã! Algumas vezes, é prudência; muitas vezes, é o advérbio dos vencidos.


252

Faz este propósito determinado e firme: lembrares-te, quando te derem honras e louvores, daquilo que te envergonha e te faz corar.

Isso é teu; o louvor e a glória, de Deus.


253

Porta-te bem "agora" sem te lembrares do "ontem", que já passou, e sem te preocupares com o "amanhã", que não sabes se chegará para ti.


254

Agora! Volta à tua vida nobre agora. - Não te deixes enganar: "agora" não é demasiado cedo... nem demasiado tarde.


255

Queres que te diga tudo o que penso do "teu caminho"? - Pois olha: se corresponderes ao chamamento, trabalharás por Cristo como o melhor; se te tornares homem de oração, conseguirás corresponder a esse chamamento e procurarás, com fome de sacrifício, os trabalhos mais duros...

E serás feliz aqui, e felicíssimo depois, na Vida.


256

Essa chaga dói. - Está, porém, em vias de cura; sê consequente com os teus propósitos. E em breve a dor será uma alegre paz.


257

Estás como um saco de areia. - Não fazes nada pela tua parte. E assim não admira que comeces a sentir os sintomas da tibieza. - Reage.


[Imprimir]
 
[Enviar]
 
[Palm]
 
[Gravar]
 
Traduzir ponto para:
Anterior Seguinte