Josemaría Escrivá Obras
 
 
 
 
 
 
  Caminho > Chamamento > Cap 43
902

Porque não te entregas a Deus de uma vez..., de verdade..., agora?!


903

Se vês claramente o teu caminho, segue-o. - Por que não repeles a cobardia que te detém?


904

"Ide, pregai o Evangelho... Eu estarei convosco...". - Isto disse Jesus... e disse-to a ti.


905

O fervor patriótico - louvável - leva muitos homens a fazer da sua vida um... "serviço", uma "milícia". - Não esqueças que Cristo tem também "milícias" e gente escolhida ao seu "serviço".


906

"Et regni ejus non erit finis". - O seu Reino não terá fim!

Não te dá alegria trabalhar por um reinado assim?


907

"Nesciebatis quia his quae Patris mei sunt oportet me esse?". - Não sabíeis que Eu devo ocupar-Me das coisas que dizem respeito ao serviço de meu Pai?

Resposta de Jesus adolescente. E resposta a uma mãe com a sua Mãe, que há três dias anda à sua procura julgando-O perdido. - Resposta que tem por complemento aquelas palavras de Cristo que São Mateus transcreve: "Quem ama o pai ou a mãe mais do que a Mim, não é digno de Mim".


908

É demasiada a tua simplicidade quando medes o valor das obras de apostolado por aquilo que delas se vê. - Com esse critério, terias de preferir um quintal de carvão a um punhado de diamantes.


909

Agora, que te entregaste, pede-Lhe uma vida nova, um "novo cunho", para dar firmeza à autenticidade da tua missão de homem de Deus.


910

Isso - o teu ideal, a tua vocação - é... uma loucura. - E os outros - os teus amigos, os teus irmãos - uns loucos...

Não tens ouvido, por vezes, esse grito bem dentro de ti? - Responde, com decisão, que agradeces a Deus a honra de pertencer ao "manicómio".


911

Escreves-me: "O desejo tão grande que todos temos de que 'isto' avance e se dilate, parece que se vai converter em impaciência. Quando salta, quando rompe..., quando veremos nosso o mundo?".

E acrescentas: "O desejo não será inútil se o empregarmos em 'coagir', em importunar o Senhor; então teremos ganho formidavelmente o tempo".


912

Compreendo o teu sofrimento quando, no meio da tua forçosa inactividade, consideras a tarefa que está por fazer. - Não te cabe o coração no planeta, e tem de se amoldar... a um minúsculo trabalho oficial.

Mas, para quando deixamos o "fiat"?...


913

Não duvides; a tua vocação é a maior graça que o Senhor te pôde dar. - Agradece-Lha.


914

Que pena fazem estas multidões - altas baixas e do meio - sem ideal! - Dão a impressão de que não sabem que têm alma; são... manada, rebanho..., vara.

Jesus: nós, com a ajuda do teu Amor Misericordioso converteremos a manada em mesnada, o rebanho em exército, e da vara extrairemos, purificados, os que não mais quiserem ser imundos.


915

As obras de Deus não são trampolim nem degrau.


916

Senhor, torna-nos loucos, com uma loucura contagiosa que atraia muitos ao teu apostolado.


917

"Nonne cor nostrum ardens erat in nobis, dum loqueretur in via?". - Não é verdade que sentíamos abrasar-se-nos o coração, quando nos falava caminho?

Se és apóstolo, esta palavras dos discípulos de Emaús deviam sair espontaneamente dos lábios dos teus companheiros de profissão, depois de te encontrarem a ti no caminho da vida.


918

Vai para o apostolado disposto a dar tudo, e não a procurar algo de terreno.


919

Ao querer-te apóstolo, o Senhor lembrou-te, para que nunca o esqueças, que és "filho de Deus".


920

Cada um de vós há-de procurar ser um apóstolo de apóstolos.


921

Tu és sal, alma de apóstolo. - "Bonum est sal" - o sal é bom, lê-se no Santo Evangelho; "si autem sal evanuerit" - mas se o sal se desvirtua... de nada serve, nem para a terra, nem para o esterco; deita-se fora como inútil.

Tu és sal, alma de apóstolo. - Mas se te desvirtuas...


922

Meu filho: se amas o teu apostolado, está certo de que amas a Deus.


923

No dia em que "sentires" bem o teu apostolado, esse apostolado será para ti uma couraça em que se embotarão todas as ciladas dos teus inimigos da Terra e do Inferno.


924

Pede sempre a tua perseverança e a dos teus companheiros de apostolado, porque o nosso adversário, o demónio, conhece de sobejo que sois os seus grandes inimigos..., e uma queda nas vossas fileiras, quanto o satisfaz!


925

Assim como os religiosos observantes têm grande preocupação por conhecer a maneira como viviam os primeiros da sua ordem ou congregação, para se acomodarem àquela conduta, assim tu - cavalheiro cristão - procura conhecer e imitar a vida dos discípulos de Jesus, que conviveram com Pedro e com Paulo e com João, e quase foram testemunhas da Morte e da Ressurreição do Mestre.


926

Perguntas-me..., e respondo-te: a tua perfeição consiste em viveres perfeitamente naquele lugar, ofício e grau em que Deus, por meio da autoridade, te colocar.


927

Orai uns pelos outros. - Porventura aquele fraqueja?... - E aquele outro?

Continuai orando, sem perder a paz. - Vão--se embora? Perdem-se... O senhor tem-vos contados desde a eternidade!


928

Tens razão. - Do alto do cume - escreves-me - em tudo o que se divisa (e é um raio de muitos quilómetros), não se vê uma só planície; por detrás de cada montanha, outra ainda. Se nalgum sítio a paisagem parece suavizar-se, ao levantar-se o nevoeiro aparece uma serra que estava oculta.

Assim é, assim tem de ser o horizonte do teu apostolado; é preciso atravessar o mundo - Mas não há caminhos feitos para vós... Fá-los-eis, através das montanhas, à força das vossas passadas.


[Imprimir]
 
[Enviar]
 
[Palm]
 
[Gravar]
 
Traduzir ponto para:
Anterior Seguinte