Josemaría Escrivá Obras
 
 
 
 
 
 
  Caminho > Discrição > Cap 30
639

De calar-te não te arrependerás nunca; de falar, muitas vezes.


640

Como te atreves a recomendar que guardem segredo..., se essa advertência é sinal de que tu o não soubeste guardar?


641

Discrição não é mistério nem segredo. - É, simplesmente, naturalidade.


642

Discrição é... delicadeza. - Não sentes certa inquietação, um mal-estar íntimo, quando os assuntos - nobres ou correntes - da tua família, saem do calor do lar para a indiferença ou para a curiosidade da praça pública?


643

Não exibas facilmente a intimidade do teu apostolado. Não vês que o mundo está cheio de incompreensões egoístas?


644

Cala-te. Não te esqueças de que o teu ideal é como uma luzinha recém-acesa. - Pode bastar um sopro para apagá-la no teu coração.


645

Como é fecundo o silêncio! - Todas as energias que perdes, com as tuas faltas de discrição, são energias que subtrais à eficácia do teu trabalho.

- Sê discreto.


646

Se fosses mais discreto, não te lamentarias interiormente dessa amargura que te faz sofrer depois de muitas das tuas conversas.


647

Não pretendas que te "compreendam".

- Essa incompreensão é providencial: para que o teu sacrifício passe despercebido.


648

Se te calares, conseguirás mais eficácia nos teus empreendimentos apostólicos - a quantos não foge "a força" pela boca! - e evitarás muitos perigos da vanglória.


649

Sempre o espectáculo! - Pedes-me fotografias, gráficos, estatísticas.

- Não te envio esse material, porque (parece-me muito respeitável a opinião contrária) depois havia de pensar que trabalho com vista a empoleirar-me na terra... e, onde eu quero empoleirar-me é no Céu.


650

Há muita gente - santa - que não entende o teu caminho. - Não te empenhes em fazer que o compreendam ; perderás o tempo e darás lugar a indiscrições.


651

"Não se pode ser raiz e copa, se não se é seiva, espírito, coisa que vai por dentro".

- Aquele teu amigo que escreveu estas palavras, sabia que eras nobremente ambicioso. - E ensinou-te o caminho: a discrição, o sacrifício, ir por dentro!


652

Discrição, virtude de poucos. - Quem caluniou a mulher dizendo que a discrição não é virtude de mulheres?

- Quantos homens bem barbados têm que aprender!


653

Que exemplo de discrição nos dá a Mãe de Deus! Nem a São José comunica o mistério.

- Pede à Senhora a discrição que te falta.


654

O despeito afiou a tua língua. Cala-te!


655

Nunca te encarecerei suficientemente a importância da discrição. - Se não é o gume da tua arma de combate dir-te-ei que é o punho.


656

Cala-te sempre que sintas dentro de ti o referver da indignação. - Ainda que estejas justissimamente irado.

- Porque, apesar da tua discrição, nesses instantes sempre dizes mais do que o que querias dizer.


[Imprimir]
 
[Enviar]
 
[Palm]
 
[Gravar]
 
Traduzir ponto para:
Anterior Seguinte