Josemaría Escrivá Obras
 
 
 
 
 
 
  Caminho > Amor de Deus > Cap 18
417

Não há amor, senão o Amor!


418

O segredo para dar mais relevo às coisas mais humildes, mesmo às mais humilhantes, é amar.


419

Criança. - Doente. - Ao escrever estas palavras, não sentis a tentação de as pôr com maiúscula?

É que, para uma alma enamorada, as crianças e os doentes são Ele.


420

Que pouco é uma vida para oferecê-la a Deus!...


421

Um amigo é um tesouro. - Quanto mais... um Amigo! Onde está o teu tesouro, aí está o teu coração.


422

Jesus é teu amigo. - O Amigo. - Com coração de carne, como o teu. - Com olhos de olhar amabilíssimo, que choraram por Lázaro...

- E, tanto como a Lázaro, quere-te a ti.


423

Meu Deus, amo-Te, mas... ensina-me a amar!


424

Castigar por Amor; este é o segredo para elevar a um plano sobrenatural a pena imposta aos que a merecem.

Por amor de Deus, a quem se ofende, sirva a pena de expiação; por amor do próximo, por amor de Deus, nunca sirva a pena de vingança, mas de remédio salutar.


425

Saber que me queres tanto, meu Deus, e... não enlouqueci?!


426

Em Cristo, temos todos os ideais: porque é Rei, é Amor, é Deus.


427

Senhor: que eu tenha peso e medida em tudo... menos no Amor.


428

Se o amor, mesmo o amor humano, dá tantas consolações aqui, que será o Amor no Céu?


429

Tudo o que se faz por Amor adquire formosura e se engrandece.


430

Jesus, que eu seja o último em tudo... e o primeiro no Amor.


431

Não temas a Justiça de Deus. - Tão admirável e tão amável é em Deus a Justiça como a Misericórdia; ambas são provas do Amor.


432

Considera o que há de mais formoso e grande na terra..., o que apraz ao entendimento e às outras potências..., o que é recreio da carne e dos sentidos...

E o mundo, e os outros mundos que brilham na noite; o Universo inteiro. - E isso, junto com todas as loucuras do coração satisfeitas..., nada vale, é nada e menos que nada, ao lado deste Deus meu! - teu! - tesouro infinito, pérola preciosíssima, humilhado, feito escravo, aniquilado sob a forma de servo no curral onde quis nascer, na oficina de José, na Paixão e na morte ignominiosa e na loucura de Amor da Sagrada Eucaristia.


433

Vive de Amor e vencerás sempre - ainda que sejas vencido - nas Navas * e nos Lepantos ** da tua luta interior.

* N. do T.: Navas de Tolosa: famosa batalha travada em 1212, no Sul de Espanha, vencida pelos exércitos dos reinos cristãos da Península Ibérica contra os muçulmanos da Andaluzia e do Norte de África.

** N. do T.: Lepanto: batalha naval travada no Mediterrâneo, em 1517, entre uma esquadra turca e outra cristã. Venceu a frota cristã.


434

Deixa que o teu coração transborde em efusões de Amor e de agradecimento ao considerar como a graça de Deus te liberta todos os dias dos laços que te arma o inimigo.


435

"Timor Domini sanctus". Santo é o temor de Deus. - Temor que é veneração do filho para com o seu Pai; nunca temor servil, porque o teu Pai-Deus não é um tirano.


436

Dor de Amor. - Porque Ele é bom. - Porque é teu Amigo, que deu a sua Vida por ti. - Porque tudo o que tens de bom é seu. - Porque O tens ofendido tanto... Porque te tem perdoado... Ele!... a ti!!

- Chora, meu filho, de dor de Amor.


437

Se um homem tivesse morrido para me livrar da morte!...

- Morreu Deus. E fico indiferente.


438

Louco! - Bem te vi (julgavas-te só na capela episcopal) depor um beijo em cada cálice e em cada patena recém-consagrados; para que Ele o encontre, quando pela primeira vez "descer" a esses vasos eucarísticos.


439

Não esqueças que a Dor é a pedra de toque do Amor.


[Imprimir]
 
[Enviar]
 
[Palm]
 
[Gravar]
 
Traduzir ponto para:
Anterior Seguinte